image-from-rawpixel-id-421771-jpeg

O uso do GLP na indústria de aves

Uma das áreas mais fortes e em constante crescimento no Brasil é o agronegócio. Inclusive, já falamos anteriormente sobre como o GLP é um grande aliado do produtor neste ramo. Porém, dentro do agronegócio encontram-se diversos tipos de indústria, entre elas a avicultura. Diante disso, hoje você vai conhecer um pouco mais sobre a eficiência do GLP em aviários.

Atualmente, nosso país é o terceiro maior produtor de carne de frango do mundo. E a expectativa da ABPA (Associação Brasileira de Proteína Animal)  é de que essa produção possa chegar a 13,7 milhões de toneladas em 2020. Já a produção de ovos deve chegar a 49 bilhões de unidades este ano, estima a ABPA. 

Mas para que isso ocorra de forma eficiente e de qualidade, alguns cuidados precisam ser tomados. Continue lendo este texto que vamos explicar!

Por dentro da história da avicultura no Brasil

Não existe evidência da existência de aves domésticas nas Américas antes da chegada de Colombo. Porém, o mercado da avicultura só começou no Brasil entre as décadas de 1920 e 1930.

As aves viviam soltas em quintais e muitos fazendeiros as criavam para suprir as necessidades de suas próprias famílias. Logo depois, apenas o excedente era vendido em mercados locais. Por fim, uma vez que a venda de ovos se tornou mais rentável, os pequenos produtores começaram a investir na construção de galpões maiores para abrigar essas aves.

Mesmo com o crescimento, que se deu principalmente a partir dos anos 1970, as galinhas demoravam, em média, seis meses para atingir o peso de abate. A título de comparação, hoje em dia, os frangos de corte são abatidos com cerca de 40 dias de idade.

Com o desenvolvimento da automação, alimentação balanceada e melhoria da saúde das aves, os custos diminuíram e resultaram em um produto mais nutritivo e barato para o consumidor. Então, as pequenas fazendas passaram a implementar operações comerciais em larga escala.

No entanto, áreas mais remotas do Brasil ainda não possuem um fornecimento adequado de energia elétrica. E para que essa produção seja bem feita, com um melhor desenvolvimento e, consequentemente, uma melhor qualidade no produto final, um bom combustível precisa ser escolhido — e é aí que o GLP entra!

A atuação do GLP dentro da indústria de aves

Hoje em dia, as pessoas estão cada vez mais exigentes quanto à proficiência do que consomem. Por conta disso, o mercado precisa estar em constante atualização sobre os seus processos. 

Por mais que o uso do GLP seja mais conhecido em ambientes domésticos, ele também é bastante utilizado dentro do comércio e da indústria. No caso da avicultura, esse combustível é bastante recorrido para o controle de temperatura dos galpões, tanto para a avicultura de corte (criação de aves para o comércio da carne) quanto para avicultura de postura (criação de galinhas para produção de ovo).

Assim que as aves nascem, elas ainda não estão preparadas para enfrentar o desconforto térmico. Isso se deve ao fato de ainda não terem desenvolvido uma proteção de suas penas. Outro fator é a presença de um sistema termorregulador ainda prematuro.

E como essa questão é resolvida? Com um sistema de aquecimento constante e controlado! Com isso, é possível proporcionar a correta manutenção da temperatura corporal desses animais.

Por apresentar maior facilidade no armazenamento e engarrafamento, o GLP permite com que o transporte seja possível até para regiões mais remotas. Isso graças à grande disponibilidade do combustível, bem como uma logística propícia para isso.

Sendo assim, o seu uso para o setor do agronegócio expandiu bastante nos últimos anos, visto que, quando comparado à energia elétrica ou o uso da lenha, diversas vantagens são apresentadas. As principais são o custo inferior, menor impacto ambiental e maior eficiência na hora de controlar a temperatura.

Ao final, todos saem ganhando: o consumidor final, o produtor e o planeta!

Leia também: