Nova resolução da ANP: o que muda?

A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) publicou este ano no Diário Oficial da União uma resolução que atualizou as especificações acerca do Gás Liquefeito de Petróleo (GLP).

Segundo a ANP, os itens da tabela foram ajustados depois de 15 anos para permitir um melhor acompanhamento dos componentes do GLP. Dentre eles o butano, o propano, o isobutano, o propeno e o buteno. Com isso, o objetivo é que haja um maior controle de qualidade do produto comercializado, além de contribuir para a simplificação regulatória.

Portanto, veja abaixo quais foram as atualizações feitas pela agência reguladora, que devem entrar em vigor em 1º de março de 2021. Logo, os produtores e importadores de GLP deverão se adequar até esta data às novas normas especificadas na Resolução ANP nº 825/2020 do Diário Oficial da União.

Teste da mancha

Primeiramente, uma das principais evoluções desse novo regulamento é a realização do teste da mancha. Nesse sentido, ele analisa a mistura entre o butano comercial e o propano, objetivando identificar potenciais resíduos. Dessa forma, a qualidade do GLP nesse parâmetro é melhorado, adequando as especificações do produto às que são exigidas em âmbito internacional.

Determinação quantitativa do odorante

Outro ponto interessante que consta no documento é a previsão da inclusão de metodologia para determinar a quantidade do odorante que é usado para conferir o cheiro do GLP. Anteriormente, esse teste era realizado apenas pelo método olfativo. Essa ação também será muito importante para a segurança de todos, visto que vazamentos podem acontecer durante o uso do produto.

GLP Inverno

Finalmente, com a entrada da nova resolução, 18 novos municípios dos estados do Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais foram incluídos na lista dos que devem receber o GLP Inverno entre maio e agosto. O GLP Inverno, hoje, é distribuído em locais onde a média das temperaturas mínimas são abaixo de 10°C e possui uma mistura de propano e butano que deve apresentar massa específica máxima de 550kg/m³ a 20°C, facilitando, portanto, a sua saída do bujão.

Controle de qualidade Gaslog

A Gaslog garante segurança e qualidade de seu GLP para todos os clientes que atende, uma vez que o produto é produzido da maneira correta. Por exemplo, a partir de uma ficha de informações de segurança fornecida pela Petrobrás, são seguidos rigorosamente os seguintes pontos:

  • Identificação do produto;
  • Composição;
  • Ingredientes;
  • Manuseio;
  • Propriedades químicas;
  • Armazenamento;
  • Primeiros socorros;
  • Combate a incêndio.

Além disso, a Gaslog também recebe diariamente o certificado de ensaio da refinaria fornecedora Repar. Nele, constam informações sobre produção, densidade e utilização, o que proporciona um produto seguro e de qualidade.

Leia também: